quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Curso de acupuntura estética em Brasília


Audiência pública para debater a regulamentação da profissão de acupunturista está marcada para dia 30

BRASÍLIA, 16 DE AGOSTO DE 2017 – Um dos mais atuantes acupunturistas que acompanham em Brasília a tramitação na Câmara dos Deputados do Projeto de Lei 1549/2003, que regulamenta a profissão de acupunturista, esteve hoje na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) e confirmou com o presidente da CCJC, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB/MG), audiência pública sobre a matéria, quarta-feira 30, a partir das 14 horas, na Câmara, atendendo ao requerimento do deputado Ronaldo Fonseca (Pros/DF), de 15 de dezembro do ano passado.

Antes tarde do que nunca. A ideia era que a audiência ocorresse antes do posicionamento do deputado, e médico, Hiran Gonçalves (PP/RR), relator do projeto de lei. Hiran, que é contrário à regulamentação da profissão de acupunturista, apresentou, dia 10 de julho, parecer pela inconstitucionalidade, injuridicidade e má técnica legislativa do documento.

Até o reconhecimento técnico dos acupunturistas foi anulado. O Ministério da Educação (MEC) retirou acupuntura da lista de cursos técnicos, ato seguido pela Secretaria de Educação do Distrito Federal. Conclusão: o certificado emitido pela Escola Nacional de Acupuntura (ENAc), de Brasília, de curso técnico, agora não é mais, o que promoveu uma debandada de alunos, enfraquecendo ainda mais a escola, a melhor do Brasil no ramo.

Referência nacional na formação em medicina tradicional chinesa, o curso da ENAc é um dos mais completos e conceituados do país, seguindo as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS)/Organização das Nações Unidas (ONU) e contando com convênios com instituições de referência no exterior. O curso tem a duração mínima de dois anos, com 2.080 horas/aula e 440 horas de estágio ambulatorial, num total de 2.520 horas de aulas diárias e presenciais, além de exigir trabalho de conclusão. Mas os intelectuais do MEC e da Secretaria de Educação do DF estão se lixando para isso.

Mas segundo a Federação Brasileira das Sociedades de Acupuntura e Práticas Integrativas em Saúde (Febrasa), “não há impedimento legal na realização das atividades laborais nessa área do saber em nosso país”. O presidente da entidade, professor Sohaku Bastos, doutor em Acupuntura e diretor para o Brasil da World Federation of Acupuncture and Moxibustion Societies (WFAS), esclarece: “A acupuntura é um recurso terapêutico da medicina tradicional chinesa, que possui uma doutrina terapêutica própria e uma inusitada racionalidade em saúde, não sendo propriedade exclusiva de nenhuma profissão da saúde no Brasil. Para evitar equívocos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou as Diretrizes para o Treinamento Básico e Segurança em Acupuntura, nas quais é clara a autonomia dos profissionais de acupuntura”.

Continua Sohaku Bastos: “Em que pese a inexistência de cursos de graduação superior em acupuntura no país, até o presente momento, reiteramos a existência de massa crítica científica e acadêmica, além de uma expressiva presença do profissional de acupuntura no mundo da assistência em saúde de nosso país, tanto na esfera privada quanto na esfera pública, caracterizando uma forte influência dessa cultura assistencial na sociedade brasileira. É dever da Febrasa, enquanto instituição que defende a prática, o ensino e a pesquisa da acupuntura e da medicina tradicional chinesa, no Brasil, informar a todos os alunos, profissionais e professores de acupuntura que não há impedimento legal na realização das atividades laborais nessa área do saber em nosso país”.

A Medicina Tradicional Chinesa, ciência de 5 mil anos de história, é baseada no taoísmo. Suas técnicas terapêuticas – entre as quais a acupuntura – vê o ser humano na sua integralidade, na busca do equilíbrio físico e espiritual.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Câncer tem cura? Um ponto de vista baseado na Medicina Chinesa e nos corpos sutis da mente


Formado em Medicina Tradicional Chinesa

BRASÍLIA, 3 DE AGOSTO DE 2017 – As células nascem e morrem ao longo de toda a vida, exceto os neurônios, que permanecem vivos da formação do feto até a morte do corpo físico. A cada divisão das células, fragmentos de DNA podem ser perdidos, causando erros genéticos que são transmitidos para as células-filhas, até que a célula não consegue mais se dividir e é destruída pelo próprio organismo. Isso acontece o tempo todo, e pode ocorrer de uma célula mutante sobreviver e começar a se multiplicar, até formar um a glomerado capaz de resistir aos linfócitos. Isso é um conceito alopático de câncer.

Mas por que algumas pessoas são vítimas de câncer e outras não? Como terapeuta em Medicina Tradicional Chinesa e pesquisador da mente, tratei uma paciente oncológica septuagenária, que tomava 15 medicamentos diariamente, alguns dos quais de tarja preta, sentia dores generalizadas e não dormia bem. Tentei ministrar-lhe estomachin, extraordinário fitoterápico chinês para o estômago, mas ela alegou que já tomava 15 medicamentos por dia e não ia tomar mais um.

Tensa, qualquer preocupação a deixava mais tensa ainda. Como não conseguia deitar-se para ser massageada ou para acupuntura o atendimento era feito com ela sentada. Conseguia fazê-la relaxar com a massagem terapêutica chinesa (tui na), mas logo depois sua região cervical assemelhava-se a um pedaço de pau.

Após várias sessões e perguntas recorrentes, mas feitas de forma sutil, consegui entender o que lhe ocorrera. Anulara-se a vida toda primeiramente perante o pai e, depois, o marido. Seu filho único tirou a própria vida naquele momento em que a juventude é imortal. E ela, desde então, levantava-se e ia dormir pensando no filho, numa saudade que a sufocava, e a matava a conta-gotas. Foi quando o cancro começou a latejar no seio direito dela.

A coisa toda surgiu no corpo astral, sede das emoções, minou o corpo etéreo, sede dos sentidos e escudo do corpo físico, e se instalou no seio direito, que é o lado feminino. Ela me contou, certa vez, que logo depois da morte do filho, ele lhe disse, em sonho, que estava bem. Mas como serenar a mente da mãe que perde o filho? Como devolver a alegria da mãe que perde de vista o filho único, no esplendor da juventude, perdido nos corredores escorregadios da loucura dos suicidas? Agulha alguma faz isso. Mas pode-se reequilibrar o corpo físico, fechar as frestas do duplo etérico e extirpar a fleuma astral.

Na Medicina Tradicional Chinesa, identificamos causas externas e internas das doenças. Aquelas, podem ser vento, frio e calor excessivos, secura e umidade; estas, raiva, alegria excessiva, preocupação, pensamento obsessivo, choque emocional violento, tristeza, medo. Tudo isso pode causar desequilíbrio energético e disparar a doença. Neste contexto, câncer é o equivalente a fleuma, gerada pelo desequilíbrio energético no meridiano do baço, então depauperado, falhando numa de suas funções, a de remover a umidade interna, massa viscosa, como catarro, mioma no útero, cisto no ovário, cálculos renais ou na vesícula, tumores benignos ou malignos.

Em termos energéticos, preocupação e estresse depauperam o baço, levando a distúrbios digestivos e à fadiga crônica, como se o paciente estivesse carregando o mundo nas costas. Daí à depressão é um passo. Consumo em excesso de alimentos frios, crus e úmidos, muito açúcar e gordura também arrasam o baço. Ainda, trabalho em excesso e frequente perda de sangue são inimigos do baço. Assim, em termos energéticos, prevenir o câncer é evitar tudo o que depaupera o baço. Quanto ao câncer oriundo de predisposição genética, teoricamente pode ser tratado também pelo meridiano do rim, que contém a energia pré-celestial, ou o Qi essencial.

Além disso, deve-se, imediatamente, cortar os suprimentos favoritos do parasita que cresce no organismo do paciente oncológico: açúcar, leite e carne. E procurar oxigenar o máximo possível as células sãs, pois cancro não suporta ambiente oxigenado.

Contudo, todos os males surgem no corpo astral. Ódio, medo, tristeza, ira, crueldade, inveja, ambição desmedida, avareza, crueldade, são alguns dos sentimentos que provocam inflamações no corpo astral e minam o escudo do corpo físico, o duplo etérico, provocando as mais diversas e assustadoras doenças, inclusive a loucura, e desfechos, como o suicídio, que é um cancro que corrói tanto o paciente danado quanto o coração dos que ainda ficam neste plano, porque o suicida abrevia a vida, às vezes no momento mais esplendoroso da sua juventude, e fica no limbo, agarrado ao corpo etérico, nem no mundo espiritual nem no mundo físico, por tempo que só a Lei extingue.

Assim, amar, principalmente a si mesmo; perdoar; ter gratidão por tudo o que tem, mesmo que seja um par de sandálias japonesas, uma bermuda e uma camiseta; ser útil à família, à sociedade e à pátria, são remédios, que, embora em doses cavalares, não se transformam em veneno, mas são, sempre, luz.

E se o câncer já tiver avançado e deteriorado a matéria de maneira que não haja mais recuperação, perdoar-se a si mesmo é o antídoto que devolverá o equilíbrio, a serenidade, o riso, e levará ao degrau seguinte na caminhada infinita do Tao.

MARCAÇÃO DE CONSULTA

raycunha@gmail.com
(55-61) 99621-6425

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Você quer emagrecer com segurança? Submeta-se à terapia segundo a Medicina Tradicional Chinesa!


Ray Cunha é terapeuta em Medicina
Tradicional Chinesa, jornalista e
escritor, autor de FOGO NO CORAÇÃO
Terapeuta em Medicina
Tradicional Chinesa pela Escola

BRASÍLIA, 28 DE JULHO DE 2017 – Um dos dramas dos nossos dias, em especial no Ocidente, é o excesso de peso e a luta para perdê-lo, quase sempre inglória. O advento da pecuária e da agricultura em escala, e a massificação das redes de supermercados, mais sofá e televisão, produzem milhões de corpos adiposos em todas as democracias do planeta; nas ditaduras, tipo a da Venezuela, o povo está catando comida no lixo dos abastados amigos de Hugo Chávez Maduro.

Pois bem, na medida em que os gordos se multiplicam rapidamente, surge todo tipo de terapia do emagrecimento, inclusive as que deixam o paciente sem apetite para sempre. Mas por que as pessoas engordam muito? É possível emagrecer e manter-se magro e saudável?

Grosso modo, a questão é matemática: se uma pessoa come duas mil calorias por dia e gasta a metade, mil serão estocadas no corpo dele, geralmente na barriga e ancas, como gordura. Se fechar a boca, emagrecerá. Mas a questão está em fechar a boca.

É preciso deixar claro que não é o terapeuta, nem acupuntura, que faz o paciente emagrecer, mas a força de vontade dele em seguir a orientação do terapeuta. O eu é a mente, que se manifesta por meio de vários corpos vibracionais. O corpo carnal é o mais denso, encerrado num universo limitado por altura, largura, fundura, tempo e força de gravidade, e que reflete o que se passa nos corpos sutis.

A mente comanda o cérebro, que, por sua vez, mobiliza o sistema endocrinológico para o funcionamento do corpo. Sentimentos deletérios, como ódio, inflamam o corpo astral, sede das emoções, e isso acaba transpassando o duplo etérico, sede dos sentidos e escudo do corpo carnal, manifestando-se em forma de doenças.

A ansiedade é outro drama da Humanidade. Ansiedade é viver no futuro; como o futuro não existe, vive-se uma fantasia, o que desequilibra o corpo astral e o duplo etérico, atingindo o corpo físico em forma de fome canina e obesidade.

No tratamento em Medicina Tradicional Chinesa são realizadas anamnese, auscultação de pulso e observação da língua do paciente, para cercar-se tudo aquilo que esteja concorrendo para seu aumento de peso. O paciente terá que equilibrar sua caminhada. Sua alimentação será revista, bem como seus horários; enfim, sua vida será sacudida. Se ele for ansioso, será orientado a se exercitar em meditação, inclusive para escapar dos sequestros emocionais e da tirania do subconsciente. Então começará seu emagrecimento. E ele verá que quem come menos vive mais, e melhor, pois quando amplia seu estado de consciência transcende a dimensão dos gordos.

Mudança de hábitos, alimentação energética, fitoterapia, massagem terapêutica chinesa e acupuntura são os pilares que alicerçarão a mudança na vida do paciente. O corpo é animado pela energia vital, o Qi da Medicina Chinesa, que circula por meio de canais, os meridianos, que conectam os órgãos. Quando essa energia – que é dupla, aposta uma a outra, mas complementares, Yin e Yang – escontra-se em desarmonia, ocorre a doença e surge a dor; os acupontos são chacras, que, estimulados, promovem a desobstrução dos meridianos, reequilibrando Yin e Yang.

Contudo, para emagrecer não existe fórmula mágica; cada caso é um caso. Às vezes, pode demorar muito para um paciente emagrecer porque ele está com seu corpo etéreo tomado por microrganismos e larvas do mundo astral; é a obesidade mórbida.

Uma coisa é certa, porém: a magreza, o corpo esbelto, flexível, com tônus, que todos nós, homens e mulheres, jovens e velhos, desejamos, está na mente. O corpo é reflexo da mente. Então, o primeiro passo é amarmos a nós mesmos, do jeito que somos. Depois, que venham as batalhas.

Marque sessão com RAY CUNHA pelo:
Telefone: (55-61) 99621-6425

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Deputado Hiran Gonçalves dá parecer contrário à regulamentação da profissão de acupunturista

BRASÍLIA, 14 DE JULHO DE 2017 – O médico e deputado Hiran Gonçalves (PP/RR), relator do projeto de lei que regulamenta a profissão de acupunturista, em tramitação na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara, apresentou, segunda-feira 10, parecer pela inconstitucionalidade, injuridicidade e má técnica legislativa do documento. O presidente da CCJC, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB/MG), ficou de marcar audiência pública sobre a matéria, atendendo à requerimento do deputado Ronaldo Fonseca (Pros/DF), aprovada pela CCJC em 15 de dezembro do ano passado. A ideia era que a audiência ocorresse antes do posicionamento do médico Hiran Gonçalves, numa tentativa de se esclarecer a ele que medicina chinesa nada tem a ver com medicina alopática.

Até os cachorros sabem que os médicos alopáticos ambicionam o mercado da acupuntura. A propósito, recentemente o Ministério da Educação (MEC) retirou acupuntura da lista de cursos técnicos, ato seguido pela Secretaria de Educação do Distrito Federal. Conclusão: o certificado emitido pela Escola Nacional de Acupuntura (ENAc), de Brasília, era de curso técnico, e agora não é mais, o que promoveu uma debandada de alunos, enfraquecendo ainda mais a escola, a melhor do Brasil no ramo.

Referência nacional na formação em medicina tradicional chinesa, o curso da ENAc é um dos mais completos e conceituados do país, seguindo as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS)/Organização das Nações Unidas (ONU) e contando com convênios com instituições de referência no exterior. O curso tem a duração mínima de dois anos, com 2.080 horas/aula e 440 horas de estágio ambulatorial, num total de 2.520 horas de aulas diárias e presenciais, além de exigir trabalho de conclusão. Mas os intelectuais do MEC e da Secretaria de Educação do DF estão se lixando para isso.

Mas segundo a Federação Brasileira das Sociedades de Acupuntura e Práticas Integrativas em Saúde (Febrasa), “não há impedimento legal na realização das atividades laborais nessa área do saber em nosso país”. O presidente da entidade, professor Sohaku Bastos, doutor em Acupuntura e diretor para o Brasil da World Federation of Acupuncture and Moxibustion Societies (WFAS), esclarece: “A acupuntura é um recurso terapêutico da medicina tradicional chinesa, que possui uma doutrina terapêutica própria e uma inusitada racionalidade em saúde, não sendo propriedade exclusiva de nenhuma profissão da saúde no Brasil. Para evitar equívocos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou as Diretrizes para o Treinamento Básico e Segurança em Acupuntura, nas quais é clara a autonomia dos profissionais de acupuntura”.

Continua Sohaku Bastos: “Em que pese a inexistência de cursos de graduação superior em acupuntura no país, até o presente momento, reiteramos a existência de massa crítica científica e acadêmica, além de uma expressiva presença do profissional de acupuntura no mundo da assistência em saúde de nosso país, tanto na esfera privada quanto na esfera pública, caracterizando uma forte influência dessa cultura assistencial na sociedade brasileira. É dever da Febrasa, enquanto instituição que defende a prática, o ensino e a pesquisa da acupuntura e da medicina tradicional chinesa, no Brasil, informar a todos os alunos, profissionais e professores de acupuntura que não há impedimento legal na realização das atividades laborais nessa área do saber em nosso país”.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Ambulatório da Escola Nacional de Acupuntura (ENAc) está atendendo a preços promocionais durante todo o mês de julho


BRASÍLIA, 4 DE JULHO DE 2017 – O ambulatório da Escola Nacional de Acupuntura (ENAc), na 710/711 Norte, Bloco D, Loja 67, está com uma promoção durante todo o mês de julho, com atendimento em acupuntura ou massagem terapêutica chinesa (tuiná) por R$ 45 ou R$ 400 o pacote de 10 sessões. A sessão poderá ser agendada de segunda a sexta-feira, pelo telefone: 3322-4998.

De ampla cobertura e eficácia terapêutica, a acupuntura é reconhecida pela OMS e foi incluída na lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, durante a V Sessão do Comitê Intergovernamental da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em 17 de novembro de 2010.

Trabalho voluntário no Centro Espírita André Luiz

Membros da equipe de acupunturistas que realizam trabalho voluntário no Centro Espírita André Luiz (CEAL), no Guará I, todos os domingos, das 8h30 às 11h30, sob a coordenação do acupunturista, jornalista e professor José Marcelo.